O ex-presidente elogiou o papel da imprensa, tanto a tradicional quanto a independente, na divulgação de informações sobre o coronavírus para a o público, além de destacar a atuação de muitos governos estaduais e prefeituras desde o início da crise. Ele cobrou do governo federal que também forneça “informação segura” para a população, o que não vem ocorrendo. “É o governo federal que tem de ser o coordenador (das ações), mas não vejo intenção nem vontade de política de fazer”, disse Lula.

Lula destacou que, para que a crise do coronavírus não se transforme em algo mais grave do que já é, é preciso colocar dinheiro novo em seu combate, muito além do que foi anunciado pelo governo. “É preciso que o tesouro coloque tanto dinheiro quanto for necessário para salvar as pessoas”, afirmou. “E depois vamos cuidar da economia, porque a economia brasileira já vinha muito ruim; e não era por causa do coronavírus, ele apenas vai agravar, como agravou em todas as partes do planeta.”

Ao longo de sua mensagem Lula insistiu em aconselhar as pessoas a tomarem cuidados com a higiene, lavar constantemente as mãos e evitar contatos para se protegerem e proteger as pessoas próximas. Ele comparou os cuidados com a doença ao comportamento das pessoas diante de uma abelha. “Quando é uma abelha só, a gente nem se preocupa, mas quando vê um enxame você sai correndo”, disse. “Esse cuidado é para evitar que o coronavírus venha como um enxame para cima de nós”.

Ele encerrou a mensagem destacando a importância da solidariedade neste momento. “Que o amor prevaleça sobre o ódio e a solidariedade prevaleça sobre o descaso”, disse Lula. “É hora cuidar do outro, com solidariedade, este é o maior antídoto contra o coronavírus”. E concluiu: “Espero voltar a fazer atividades públicas com todos vocês, com muita saúde, porque o que eu mais quero é recuperar a democracia em nosso querido Brasil”.

 

 

O ex-presidente elogiou o papel da imprensa, tanto a tradicional quanto a independente, na divulgação de informações sobre o coronavírus para a o público, além de destacar a atuação de muitos governos estaduais e prefeituras desde o início da crise. Ele cobrou do governo federal que também forneça “informação segura” para a população, o que não vem ocorrendo. “É o governo federal que tem de ser o coordenador (das ações), mas não vejo intenção nem vontade de política de fazer”, disse Lula.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui